o-galego-impossivel

O galego (im)possível nasceu com o objetivo de desnudar o argumentário que se tece em volta da estratégia dominante para o galego, aquela que vê e vive a nossa língua como desligada das sociedades de expressão portuguesa. Ao mesmo tempo, quer oferecer o seu reverso, mostrando outra forma de ver e viver a língua da Galiza, em nossa opinião, mais nutritiva individualmente, mais poderosa socialmente e mais útil para frear o seu avançado estado de substituição e de hibridação em relação com a língua estatal do Reino de Espanha.

Nesta segunda edição, a sequência Ainda Mais alude a dous factos. O primeiro é que houve uma reescrita do texto, sobretudo nalguns capítulos que ficaram alterados quase na íntegra, sempre com o guia de comunicar melhor e tornar mais acessível o texto. O segundo alude a que desde a data da 1ª edição, em 2001, é ainda mais palpável que existe um galego possível e um outro impossível.

[Contracapa]:

A língua da Galiza sofre um processo avançado de substituição linguística e formal em favor do castelhano. Entre aquelas pessoas e coletivos que desejam parar e reverter este processo há duas estratégias. O autor deste livro promove uma delas, que assenta numa língua compartilhada com outras sociedades, entre outras a brasileira, a portuguesa e a angolana. Com esta perspetiva o autor analisa a outra estratégia, uma língua isolada dessas mesmas sociedades e ligada necessariamente ao mundo em castelhano, portanto à língua que a está a substituir.

O galego (im)possível analisa os principais argumentos e sobretudo lugares comuns que justificam o galego autonómico oferecendo outra forma de ver e viver a língua da Galiza.

FICHA TÉCNICA AUTOR:

Ano: 2015

Capa: brochado

14 x 21 cm

340 páginas

ISBN: 978-84-87305-94-8

DL: C 1204-2015

PVP: 17 €

Diagramador: Miguel R. Penas

Desenho de capa: Ricardo Cabanelas

Valentim Fagim (Vigo, 1971). Licenciado em Filologia Galego-Portuguesa, fundador da livraria A Palavra Perduda, é desde 2001 professor de português nas Escolas Oficiais de Idiomas. Especializado em difundir a estratégia internacional da língua galega por meio de artigos de opinião, vários projetos em formato site, ação associativa e vários livros, todos eles editados na Através | Editora: Do Ñ para o NH, O galego é uma oportunidade (com José Ramom Pichel) e Os quês e porquês do reintegracionismo (com vários autores). Presidente da Agal entre 2009 e 2012. Atualmente vice-presidente.

Página do autor
INTERESSADO VISITE A NOSSA LOJA