quem-fala

Quem fala a minha língua? Vol. 2, coordenado por Robert Neal Baxter, da Universidade de Vigo, é a segunda obra que publica a Através ao respeito das identidades das línguas. Na introdução deste segundo volume podemos ler em palavras do seu coordenador:

Os artigos reunidos neste livro analisam uma série de exemplos concretos onde fica patente a plasticidade da denominação das línguas e a sua codificação, ora tendente para a unidade, ora para a divisão, oferecendo umas reflexões que podem servir, se calhar, para nutrirem o debate arredor do galego-português”.

Os conteúdos do volume são:

Robert Neal Baxter. Plasticidade linguística versus motivação ideológica na definição e codificação das línguas: de dialeto a língua e vice-versa

Dominique Huck. O alsaciano: alguns apontamentos sobre a sua escrita e a relação com o alemão padrão.

Aitor Carrera. O occitano do Val d’Aran: uma aproximação sociolinguística.

Tadhg Ó hIfearnáin. A proximidade linguística e o desenvolvimento do manês.

Lars S. Vikør. O norueguês: Bokmål vs. Nynorsk

Philippe Mouraux. Que norma para a língua regional da Lorena germanófona? Entre tradição linguística, «renascentismo» étnico e pragmatismo

Robert D. King. Digrafia, Religião, e conflito étnico: O caso do Hindi e do Urdu.

 

FICHA TÉCNICA AUTOR:

Ano: 2015

Capa: brochado

14 x 21 cm

206 páginas

ISBN: 978-84-87305-88-7

DL: C 91-2015

PVP: 13 €

Diagramadora: Miguel R. Penas

Desenho de capa: Hugo Rios

Robert Neal Baxter (coord.). Nascido no R.U. em 1966. É licenciado em linguística e francês pola Universidade de York e doutor em Tradução e Interpretação pola Universidade de Vigo. A sua investigação académica centra-se no papel da tradução e da interpretação na planificação linguística tanto no caso das línguas subordinadas (galego, bretão), quanto no caso da linguagem e género e sexualidade. É professor de interpretação simultânea e consecutiva (inglês-galego) na Universidade de Vigo desde 1995.

Dominique Huck. Nascido em Estrasburgo, França. É professor titular de alemão, doutor em dialetologia e habilitado para dirigir trabalhos de investigação. Os seus trabalhos estão centrados nas questões sociolinguísticas ligadas para o âmbito do alsaciano, a dialetologia contrastiva (dialetos na Alsácia/alemão padrão) e as políticas linguísticas, especialmente no âmbito educativo. É autor do livro Une Histoire linguistique de l’Alsace, baseado nos seus trabalhos anteriores, que foi publicado por Editions de la Nuée-Bleue (2015). Na atualidade é professor de dialetologia e sócio-linguística na Universidade de Estrasburgo.

Aitor Carrera (Balaguer, 1976) doutor em Filologia Catalã pola Universitat de Lleida, com uma tese sobre as falas gascãs do Val d’Aran e do Alt Comenge. É professor de Língua e linguística occitanas nesta mesma universidade, onde dirige a Cátedra de Estudos Occitanos. A sua investigação baseia-se em aspetos dialetológicos, toponímicos, gramaticais e sociolinguísticos da língua occitana, especialmente o gascão, e é autor de mais de oitenta publicações.

Tadhg Ó hIfearnáin. Doutor em Sociolinguística da língua irlandesa (1994) e licenciado em Língua e literatura irlandesas (1988) pola Ollscoil Uladh (Universidade do Ulster). Trabalha como sociolinguista nos âmbitos social e linguístico, especializado no irlandês, no manês e no gaélico das Escócia, para além de muitos outros contextos de língua minoritárias. É membro do comité consultivo de planificação linguística da autoridade do gaeltacht e trabalha na Ollscoil Luimnigh (Universidade de Limerick) desde 1996, onde é diretor de Língua e literatura irlandesas, uma unidade que funciona em irlandês dentro da Escola de cultura e comunicação.

Lars S. Vikør. Nascido em Oslo, em 1946, tem um mestrado em Língua e literatura indonésias da Universidade de Leiden (Países Baixos). É professor de linguística escandinava especializado no norueguês na Universidade de Oslo desde 1993. É um dos quatro principais editores do projeto lexicográfico em 12 tomos Norsk Ordbok (‘Dicionário do norueguês’) abrangendo o nynorsk e os dialetos noruegueses, previsto para 2015. É autor de numerosas publicações sobre a planificação linguística do norueguês e sobre a história da língua, autor de The Nordic Languages – their Status and Interrelations (Oslo 1993, última edição 2001).

Philippe Mouraux. Nascido em 1967, é licenciado em Direito (universidades de Paris-Sul e Marburgo), em Tradução (Instituto Superior de Interpretação e Tradução, Paris) e em Língua literatura e civilização germânicas (Universidade de Paris XII). Depois de três anos como chefe de projetos na Academia de Direito Europeu de Tréveris, trabalha desde o 1998 como jurista-linguista no Tribunal de Justiça da União Europeia em Luxemburgo, com uma interrupção entre 2002-2005, durante a qual ocupou o cargo de gestor responsável pola informação na Comissão europeia (DG Educação e Cultura, Unidade «Ensino Superior -ERASMUS-Projeto Jean Monnet») em Bruxelas. Presidente da associação Culture et Bilinguisme de Lorraine (‘Cultura e Bilinguismo de Lorena’) de 1999 a 2014, é membro do comité diretor da mesma e delegado para a Lorena germanófona da Verein Deutscher Sprache e.V. (Associação da Língua Alemã).

Robert D. King. Nascido no Mississippi, em 1936, é doutor em Linguística germânica pola Universidade de Wisconsin e tem uma licenciatura e um mestrado em matemáticas do Instituto de Tecnologia da Geórgia (EUA). A sua investigação abrange a história e a sociolinguística do iídiche e do alemão e a política linguística, especialmente centrada nas línguas do Sul da Ásia. Tem ensinado na Universidade de Texas desde 1965 até se aposentar em 2011 na Cátedra Rapoport de Estudo Judaicos, como professor de Linguística, Estudos asiáticos e Línguas germânicas.

 

INTERESSADO VISITE A NOSSA LOJA