Carrinho 0
Continue lendo...

Afonso Becerra: “descobri que havia toda uma imensa e rica história da dança oculta e totalmente desconhecida na Galiza”

Daniel Amarelo Montero entrevista Afonso Becerra de Becerreá, dramaturgo e professor na ESAD da Galiza, em Vigo. Da sua autoria é o último livro da Através Editora, História da Dança Contemporânea na Galiza, que conta com o apoio da AGADIC, da Deputação de Lugo e do Concelho de Santiago de Compostela. Daniel (E): Existem várias histórias da literatura, mesmo contamos com várias publicações sobre a história do teatro galego, mas tivemos que esperar até 2021…

Continue Lendo
Continue lendo...

Bea Busto: “O país e a identidade defendem-se permitindo-nos o presente e o futuro, nom apenas o passado”

Através Editora lança, como novidade do mês de fevereiro de 2021, o livro Um país a la gallega, A Galiza no No-do franquista  da docente, antropóloga e etnomusicóloga, Beatriz Busto (Compostela, 1979). Antes de mais, queríamos que contasses o porquê desse título tam engraçado e culinário como Um país a la gallega… Seique o livro  está cozinhado com sal grosso, azeite e pimentom de la Vera? Pois o livro nom, ou espero que nom, realmente.…

Continue Lendo
Continue lendo...

José Manuel Barbosa: “Aceitamos a narrativa imposta pela inércia historiográfica oficial”

José Manuel Barbosa (Ourense, 1963), professor de educação física. Porém, a sua paixão é a história. Organizador e guia de roteiros históricos, publicou diversos livros sobre a história da Galiza como Bandeiras da Galiza (2006) ou o Atlas histórico da Galiza (2008). Agora lança com a Através Editora um novo e sugestivo título, A evolução histórica dos limites da Galiza. José Manuel, quando e por que decides mergulhar no mundo da história? O meu com…

Continue Lendo
Continue lendo...

Carlos Velasco: “A sociedade galega, em geral, demanda bastante história”

A Através Editora publicou recentemente 40 datas que fizeram a história da Galiza. Conversamos com o coordenador da equipa autora, Carlos Velasco, professor titular de História Contemporânea na Universidade da Corunha.  O livro recolhe 40 datas chaves da história da Galiza. Podiam ter sido mais? Quantas datas-chave pode ter uma história nacional? Tudo depende do que considerarmos datas-chave. Podem ser três ou quatro ou bem várias dúzias, como as que recolhemos no livro para o…

Continue Lendo
Continue lendo...

“Elas, as emigrantes”, resenha por Carmen V. Valiña

Elas, as emigrantes tenta, a partir do seu próprio título, ser uma homenagem tão humilde como explícita às mulheres que deixaram a Galiza caminho da emigração suíça. Porque o facto migratório que marcou a nossa história recente não pode continuar a ser estudado de parâmetros supostamente objetivos que, dentro do masculino genérico, deixam fora as experiências femininas específicas. A obra propõe, ademais, uma comparativa entre dous períodos históricos, o dos anos 60 e 70 e…

Continue Lendo