Carrinho 0
Continue lendo...

Carlos Velasco: “A sociedade galega, em geral, demanda bastante história”

A Através Editora publicou recentemente 40 datas que fizeram a história da Galiza. Conversamos com o coordenador da equipa autora, Carlos Velasco, professor titular de História Contemporânea na Universidade da Corunha.  O livro recolhe 40 datas chaves da história da Galiza. Podiam ter sido mais? Quantas datas-chave pode ter uma história nacional? Tudo depende do que considerarmos datas-chave. Podem ser três ou quatro ou bem várias dúzias, como as que recolhemos no livro para o…

Continue Lendo

“Que a ortografia não seja um problema para as autoras é um primeiro passo para derrubar muros”

entrevista extraída de Palavra Comum Consideram-se uma equipa não profissional, no entanto são já 90 títulos editados desde a sua fundação e o consolidar de um vasto e criterioso catálogo de autores, clássicos e contemporâneos, do panorama literário galego e lusófono. A Através Editora é um selo da AGAL e editam sobretudo em galego internacional, “uma versão que não atravessa preconceitos, nem limitações“. Possuem um clube de subscritores e vários segmentos de publicação, onde se incluem: Através das…

Continue Lendo
Continue lendo...

Marco Neves: “Espero abrir os olhos aos leitores portugueses para a proximidade real entre o português e o galego”

A Através Editora, chancela editorial da AGAL, desejava desde quase o seu início publicar um livro sobre a questão identitária da nossa língua, na Galiza, mas de uma ótica portuguesa. Então apareceu um dos melhores candidatos, Marco Neves, professor na Universidade Nova de Lisboa, tradutor, autor de vários livros de divulgação linguística e do imperdível blogue, para os amantes do facto linguístico, Certas Palavras. Marco, o título do livro é uma pergunta. Dá para ser…

Continue Lendo
Continue lendo...

Teresa Moure: “Sempre digo que não tenho vocação de linguista”

Valentim Fagim conversou com Teresa Moure, autora de Linguística eco-, o último fruto da Através Editora, um alimento incontornável para as pessoas que vêem as línguas para além da utilidade e que gostam de arranhar no espelho. No prólogo do livro, da autoria de Moreno Cabrera, ele começa a indicar que a autora está comprometida com a defesa da diversidade linguística sem esta inclinação afetar a fotografia da realidade que mostra. Foi uma dificuldade transitar…

Continue Lendo
Continue lendo...

“Elas, as emigrantes”, resenha por Carmen V. Valiña

Elas, as emigrantes tenta, a partir do seu próprio título, ser uma homenagem tão humilde como explícita às mulheres que deixaram a Galiza caminho da emigração suíça. Porque o facto migratório que marcou a nossa história recente não pode continuar a ser estudado de parâmetros supostamente objetivos que, dentro do masculino genérico, deixam fora as experiências femininas específicas. A obra propõe, ademais, uma comparativa entre dous períodos históricos, o dos anos 60 e 70 e…

Continue Lendo
Continue lendo...

Bruna Rangel: “Há feminismos mais e menos visíveis, e isso tem relação com fatores sociais e culturais”

  Um manual, um ensaio ou um argumentário contra o machismo. Não Me Kahlo. Feminismo além das redes (Através Editora, 2019) explora a energia do movimento feminista gerada no Brasil após o sucesso do hashtag #MeuAmigoSecreto. Uma listagem de motivos com os que tirar abaixo o senso comum do patriarcado. O livro que vem de editar A Através Editora para o público europeu saiu do prelo brasileiro em 2016. Com a perspetiva três anos decorridos como avaliais o vosso…

Continue Lendo

Rebeca Baceiredo: “É preciso que esses seres façam parte da sociedade no âmbito político, que sejam sujeitos de direito”

A relação com a alteridade encarnada no tratamento dos seres animais e como esta constrói a sua e a nossa subjetividade são algúns dos temas que trata Rebeca Baceiredo neste estudo que é Animais de estimação e bestas de companhia. Teresa Crisanta Pilhado, codiretora de Através, conversa com a autora para debulhar as questons principais que analisa esta obra. Animais de estimação e bestas de companhia é um ensaio sobre ética animal. Qual é a…

Continue Lendo

Natalia Poncela: “Não podemos assumir toda experiência artística apenas como um ato diletante”

Natalia Poncela é historiadora e crítica de arte. Na sua última obra Nem tudo é arte? Mod@s de olhar apresenta um debate sobre o seu campo de trabalho. Como é arte, quando é arte e onde é arte? Vozes, opiniões e conversas nascem nas páginas do livro da mão de pessoas que não pertencem ao círculo do mercado da arte, da teoria ou da crítica da arte. Perante as obras de arte plásticas e visuais contemporâneas talvez…

Continue Lendo

Jorge Marim: “O principal seria vincular novas masculinidades à multiplicidade, não a unha única forma de entender o masculino”

Teresa Moure entrevista Jorge Marim, Sociólogo, professor do Departamento de Sociologia e Ciência Política da Universidade de Santiago de Compostela (USC) e autor de Novas masculinidades. O feminismo a (de)construir o homem, volume 4 da Coleção Alicerces. * Podes dar-nos uma definição do termo “homem”? Por favor, evita que seja o macho da mulher. Homem é a posição social de partida de dominação como diria P. Bourdieu, ou, se queremos do ponto de vista lacaniano,…

Continue Lendo
Continue lendo...

Susana Sanchez Arins: “Estou orgulhosa de que a Através já não seja o espaço único que nos resta às autoras reintegracionistas”

  Susana S. Arins vem de publicar TU CONTAS E EU CONTO, um cuidado volume com 17 relatos e 17 poemas nos que conta sobre amizades que lastimam, sobre a memória dos tempos idos, sobre o nojo, o humor e a morte; sobre ocupar o tempo na precariedade, sobre voltar a casa sozinha, sobre o medo e sobre o assédio. Com este motivo conversou com ela Teresa Crisanta, diretora da Através. ** Parece teres certa predileção pela combinatória…

Continue Lendo